segunda-feira, 6 de maio de 2013

DIA DA MÃE

 MÃE
                                                                     ACORDEI
                                                                        A
                                                           SONHAR
                                                              CONTIGO
                                                                        NO
                                                                MELHOR
                                                                      SONO
           
                      Foi com muito carinho que fizemos esta bela prenda para oferecermos às nossas Mães.
                             Dentro da caixa colocamos o sabonete feito de forma artesanal.
                                         O escrito é a história da vida das nossas Mães

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Homenagem aos Bombeiros V. de Paredes


                                  Texto de homenagem aos B.V Paredes
 
Boa noite minhas senhoras, meus senhores e bombeiros aqui presentes.
Estamos aqui hoje na escola de Talhô. Gondalães para realizar uma atividade um simulacro de incêndio.
Uma vez que temos connosco alguns elementos do Corpo de Bombeiros Voluntários de Paredes os alunos e professoras desta escola consideraram importante prestar-lhes uma homenagem.
            Assim, queremos agradecer aos bombeiros pela atitude e entrega no combate aos fogos que ocorreram durante o verão e pela disponibilidade na ajuda às populações, arriscando muitas vezes a própria vida.
            Para esta homenagem fizemos um trabalho que contou com a colaboração de todos os alunos e quisemos que fosse algo simbólico, também uma representação de vida.

A todos os bombeiros o nosso agradecimento e um bem hajam.
 

 Elaborado pelos alunos do 3º ano

Simulacro de incêndio

video

A semana da Alimentação

video

A nossa escola



Quando os nossos avós andavam na escola tudo era diferente. Em vez de cadernos escreviam numa lousa de ardósia e em vez de lápis e canetas usavam um ponteiro. Quando a lousa estava cheia, apagavam e voltavam a escrever, reciclavam o material, muitas e muitas vezes.
Nessa altura tinham de saber de cor muitas coisas, tais como: tabuada, rios e afluentes, serras, linhas do caminho de ferro de Portugal Continental, Insular (Açores e Madeira) e Ultramarino (antigas colónias).
Os professores eram muito rigorosos e usavam a régua e a cana para manter a ordem, e a disciplina e fazerem os alunos trabalhar.
Mas quando os nossos pais frequentaram a escola, já foi diferente, apenas o edificio era o mesmo.
Os alunos tinham cadernos, livros, lápis e caneta para escrever.
No intervalo havia leite e pão que era distribuído a todas as crianças. Na escola funcionavam quatro turmas em regime duplo: duas turmas tinham aulas das oito horas às treze e as outras duas, das treze horas e quinze às dezoito e quinze. Quando as aulas terminavam os meninos iam para casa a pé e no caminho faziam grandes brincadeiras, que iniciavam durante o intervalo.
Frequentamos a mesma escola onde andaram os nossos pais e avós. Atualmente a escola tem cinquenta e um alunos distribuídos por duas turmas. Cada turma tem dois níveis de escolaridade. O horário é das nove às dezassete horas e trinta minutos.
No intervalo temos leite e podemos almoçar na cantina.
Todos os alunos têm computador e frequentam atividades de enriquecimento curricular de música, inglês, atividade física e desportiva e apoio ao estudo.
A escola de que estamos a falar é a de Talhô situada na freguesia de Gondalães, concelho de Paredes, distrito do Porto.
Apesar de ser pequenina, gostamos de lá andar, de aprender e de brincar.       

Texto coletivo – TG 34